José Manuel Fernandes, Cláudia Monteiro de Aguiar, Maria da Graça Carvalho, João Ferreira, Sandra Pereira, Isabel Carvalhais e Francisco Guerreiro, por iniciativa da SPEM, manifestaram o seu apoio ao grupo de interesse que defende a melhoria da qualidade de vida dos doentes neurológicos. Os parlamentares juntam-se a Marisa Matias, que no mandato anterior já apoiava a iniciativa.

O Grupo de Interesse “Brain, Mind and Pain” foca-se na melhoria da qualidade de vida de todos aqueles que vivem com distúrbios cerebrais, mentais e da dor em toda a União Europeia, bem como as suas famílias e cuidadores. As áreas principais de intervenção são: a erradicação do estigma, isolamento e discriminação; o acesso equitativo a tratamentos, serviços e apoio social e a capacitação do doente para maior intervenção e envolvimento na investigação, nas decisões médicas e nas políticas que o afeta.

O caderno de prioridades do grupo para o novo mandato das instituições europeias foi apresentado em maio. As organizações subscritoras consideram que o novo mandato europeu traz “inúmeras oportunidades de defesa e apoio às perturbações cerebrais, mentais e da dor”, para que, cada vez mais, façam “parte da agenda global de políticas de saúde”.

Os grupos de interesses são agrupamentos privados, públicos ou não governamentais que tentam de forma regulamentada influenciar as decisões tomadas pelas instituições da EU. O trabalho dos representantes dos grupos de interesse consiste, essencialmente, em ter reuniões, enviar cartas aos eurodeputados ou organizar campanhas de sensibilização e mobilização da opinião pública.

A iniciativa “Brain, Mind and Pain” é coordenada pela Federação Europeia de Associações Neurológicas (EFNA), o Conselho Europeu do Cérebro (EBC) e pela Aliança Europeia da Dor (PAE).

Para mais informações, visite www.brainmindpain.eu/