Tamanho da letra
Normal Médio Grande
Facebook Partilhar e divulgar
Enviar por email
Imprimir Página
Início > Notícias > Providenciando uma moderna reabilitação na EM

04 noticias cor

Este artigo é publicado no site da SPEM em parceria com a Plataforma Europeia de Esclerose Múltipla (EMSP), tendo sido inserido na segunda edição da Newsletter dos Membros da EMSP.

 

A Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM) planeia relocalizar, expandir e modernizar o único centro de reabilitação no país exclusivamente dedicado a pessoas que vivem com Esclerose Múltipla. Os trabalhos deverão estar completos até ao final de 2017.

 

O Centro de Neuroreabilitação de EM em Lisboa está a operar desde 2004, oferecendo cuidados especializados. A SPEM pretende renovar um edifício próximo da sua sede e transferir para lá todo o centro. O processo inclui a melhoria das condições de trabalho e das instalações técnicas. Desta forma, será também possível acolher mais profissionais.


Um sonho tornado realidade

A Vice-Presidente da SPEM, Susana Protásio, fala deste projeto como um ‘sonho tornado realidade’:
“O atual espaço do centro e as suas condições não estavam, nitidamente, a ser suficientes para o cada vez maior número de pessoas a requerer a nossa fisioterapia, assim como os serviços de terapia ocupacional e de terapia da fala.


Este é um objetivo importante para nós em 2017. Seremos capazes de ajudar um maior grupo de pessoas com EM e outras doenças do foro neurológico.”


Tal como Susana Protásio indica, o novo centro será capaz de acolher 200 pacientes todos os meses, duplicando os números atuais. Para além disso, estará disponível para pessoas com outras doenças neurológicas, como Alzheimer, Parkinson ou ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica).

 

   Carolina-Rodrigues-SPEMs-Physiotherapist-with-one-of-our-patients.-Photo-SPEM 

Fotografia: Carolina Rodrigues, fisioterapeuta, a trabalhar com uma paciente com EM (arquivo da SPEM).

 

40.000 euros para serviços ‘vitais’

Os custos totais deverão atingir os cerca de 40.000 euros. Mas os benefícios para quem vive com a doença são inestimáveis. Rosário Barreiro frequenta o centro de Lisboa há 12 anos e diz que lhe providencia muito mais do que terapias para a EM:


“O centro é vital na recuperação de algumas das funções do meu corpo porque a medicação, por si só, não é suficiente. O serviço de fisioterapia ajuda-me diariamente. Também gosto de vir aqui porque os profissionais ouvem os meus problemas, falam comigo e tornam-se meus confidentes.


O tempo passado aqui faz uma enorme diferença para mim. A bicicleta tem-me ajudado muito. Antes, nem sequer conseguia pedalar. Estou muito melhor agora. Estou a voltar a ganhar a minha massa muscular, a melhorar os meus níveis de fadiga e a minha resistência.”

 

Fatima-Ruivo-our-Speech-Therapist-during-one-of-her-sessions.-Photo-SPEM-321x430

Imagem: Fátima Ruivo, terapeuta da fala, durante uma das suas sessões (arquivo da SPEM)


‘Faz-me feliz’

Ana Laia apenas frequenta o centro há quatro meses mas afirma que os exercícios e a companhia têm feito de si uma pessoa mais feliz:

“Ajuda-me com a minha mobilidade e permite-me sentir mais confortável com o meu corpo. É também um bom motivo para sair de casa. Antigamente, costumava passar todos os meus dias no sofá. Mas agora notei um aumento na minha resistência e no equilíbrio. Além disso, cá não há coitadinhos.”


A Sociedade Portuguesa de EM conseguiu assegurar a maior parte do dinheiro necessário para o novo centro de reabilitação através da angariação de fundos. Está ainda a negociar atualmente, a nível nacional e europeu, um conjunto de fundos adicionais.


Segundo o Atlas da EM, 6.500 pessoas vivem com Esclerose Múltipla em Portugal.

Designed by Exadorma
Alojamento gentilmente cedido por PHNEUTRO