A SPEM (Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla), no âmbito do grupo de trabalho para a Empregabilidade da Carta para a Diversidade, organizou, no último dia 7 de Maio, na Fábrica Braço de Prata, a Tertúlia “Empregabilidade e Deficiência”. O encontro serviu para empresas e instituições falarem sobre apoios, dificuldades e boas práticas na contratação de pessoas com deficiência.

A tertúlia foi moderada por Paulo Gonçalves, vice presidente da SPEM, e contou com representantes do El Corte Inglés e Nanarela como empresas participantes no painel de discussão. A SPEM, a OED (Operação Emprego para pessoas com deficiência) e o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) participaram, também, no painel da tertúlia.

A discussão prendeu-se com as temáticas dos apoios dados pelo IEFP à colocação e adaptação de postos de trabalho para pessoas com deficiência, bem como com boas práticas e partilha de experiências de integração, assim como desafios e constrangimentos.

A questão das quotas para pessoas com deficiência também foi abordada. No entanto, e uma vez que ainda não está legislada, foi sugerida para maior discussão numa próxima tertúlia, já pensada pelo grupo de trabalho.

Foram, mesmo assim, apresentados alguns exemplos espanhóis que já funcionam há vários anos e que permitem um cumprimento mais eficaz desta lei, uma vez que as empresas que não possam, por motivos do serviço prestado, integrar pessoas com deficiência, pagam a centros de emprego especializado para cumprirem a lei.

No público sobressaíram algumas críticas à morosidade dos processos de apoio do IEFP e a necessidade de uma mais estreita comunicação entre empresas e instituições, de forma a agilizar o processo entre oferta e procura.

Por fim, ficou vincada a possibilidade de as pessoas com deficiência conseguirem estar activas e contribuírem para o mercado de trabalho, sendo essa uma necessidade evidente para a auto-estima e dinâmica social e profissional.

tertulia-empregabilidade-marvila-spem 2
tertulia-empregabilidade-marvila-spem