Na categoria “Contributo para a Sociedade”, o júri distinguiu o projeto “Cuidar de quem Cuida”, desenvolvido pela SPEM. Esta foi a primeira edição do prémio, criado no âmbito do 80ºaniversário da APIFARMA.

A candidatura apresentada pela SPEM pretende acompanhar, formar e capacitar os cuidadores informais com o apoio de uma equipa multidisciplinar. Reduzir os níveis de stress e ansiedade, promover a valorização pessoal, combater o isolamento social e dar ao cuidador ferramentas e conhecimentos para lidar com as situações do dia-a-dia, são alguns dos objetivos definidos para o projeto vencedor.

Segundo a Apifarma (Associação Portuguesa de Indústria Farmacêutica), a ideia destacou-se por permitir “a criação de condições que visem a reintegração do doente na sociedade, como cidadão responsável e produtivo, e que permitam ganhos em saúde e financeiros para o Doente e para a sociedade”.

Alzheimer Portugal, Novamente e APELA foram as outras associações de doentes que saíram vencedoras.

Na primeira edição do “Prémio APIFARMA – Cidadania em Saúde”, foram submetidos a análise do Júri 38 projectos. O valor dos prémios totaliza 40 mil euros, montante repartido igualmente pelos vencedores de cada uma das quatro categorias a concurso.

João Almeida Lopes agradeceu aos vencedores do prémio e também “aos que fazem da luta diária contra a doença a mais importante causa de vida, que é também a causa de vida da Indústria Farmacêutica”. O presidente da APIFARMA referiu que “num tempo em que as políticas e os serviços se centram no cidadão e no bem comum” é necessário“ estar sempre ao lado das organizações de doentes”.

O Júri do “Prémio Cidadania em Saúde” foi constitúido por António Correia de Campos, Presidente do Conselho Económico e Social, presidiu ao Júri; Ana Paula Martins, Bastonária da Ordem dos Farmacêuticos; Manuel de Lemos, Presidente da União das Misericórdias Portuguesas; Maria da Graça Freitas, Directora-Geral de Saúde; Mário Pinto, Consultor para a Área da Saúde da Presidência da República; João de Deus, Membro do Conselho Nacional da Ordem dos Médicos e Rui Santos Ivo, Presidente do Conselho Directivo do INFARMED.