A exposição “A Minha Esclerose Múltipla Invisível” chegou a Santarém, onde vai continuar a dar a conhecer os sintomas invisíveis da EM, numa envolvente de sensibilização e apoio à causa.

Até dia 31 de janeiro de 2020, a Escola Superior de Saúde de Santarém acolhe esta exposição, que tem percorrido o país, permitindo aos visitantes compreender melhor cada sintoma, conhecer testemunhos na primeira pessoa, e ainda experienciar o que sente um doente com EM.

Em espaços diversificados como unidades de saúde, empresas, centros comerciais e universidades, a exposição tem procurado esclarecer os doentes em relação ao que sente um portador de Esclerose Múltipla, alertando para o estigma social, a incompreensão e a necessidade permanente de inclusão. Lisboa, Oeiras, Cascais, Viseu, Beja, Portimão, Santarém, Leiria, Coimbra e Porto foram algumas das cidades que até agora receberam a exposição.

A exposição apresenta 12 painéis sobre os sintomas mais comuns e que passam despercebidos ao comum cidadão. A ideia é proporcionar aos visitantes uma experiência sensorial, desafiando-os a realizar tarefas comuns com as dificuldades colocadas pela doença. Por exemplo, tentar pegar uma caixa de cereais mais pesada que o normal, abotoar uma camisa com luvas de borracha, usar umas barbatanas para caminhar ou procurar ler o rótulo de uma embalagem com letras distorcidas.

Este projeto é promovido pela Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), Associação Nacional de Esclerose Múltipla (ANEM) e Associação “Todos com Esclerose Múltipla” e conta com o apoio das farmacêuticas Biogen, Merck, Novartis, Roche, Sanofi Genzyme e Almirall.